segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Massapê a 120!


 
Jader Soares
(Poesia escrita em 5 de fevereiro de 2018 em Fortaleza)

Queria tá em Massapê
Tomando banho de chuva
Debaixo duma biqueira
Depois da chuva passada
Me balançar na calçada
Numa gostosa cadeira.

Conversar com todo mundo
Dar bom dia a que passa
Sentar num banco da praça
Entre a Coluna e a Matriz
Rever amigos, achar graça
Isso sim, me faz feliz!

Minha cidade, meu berço
Meu primeiro endereço
Minha régua e meu compasso
Em cada canto uma lembrança
Em cada rosto uma esperança
Aí dei meu primeiro passo.

Aos 5 de fevereiro
120 de idade
Chegou 2018
Parabéns minha cidade
Hoje é teu aniversário
Jajá mato minha saudade.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O filme OS PARÇAS e a sacada do Tom!


 
Por Jader Soares
O humorista Tom Cavalcante vinha pensando há um tempão em fazer um filme! Pensou dum jeito. Pensou doutro. Chegou inclusive a realizar um curta metragem, nos Estados Unidos, quando passou uma temporada por lá, após sua saída da TV Record: Pizza Me Máfia (2014). E, apesar do filme ter sido exibido na Paramount, em Hollywood, por aqui, ninguém ouviu falar. Aliás, é bom que se diga, que o próprio Tom não fez esforço algum para divulgar  o “Pizza Me Máfia” no Brasil!
Aquele filme não era bem o que Tom queria! Era só um ensaio!
E o que era que o Tom queria, então?
Ora! Fazer um filme com as fuleiragens, bricadeiras, gaiatices e mungangos nordestinos... cearenses. E o melhor cenário para isso, não poderia ser outro: São Paulo, a maior capital populacional do Nordeste. E a partir da Rua 25 de Março, nosso Beco da Poeira daqui de Fortaleza.
E o formato do filme?
Com a cabeça encostada ao travesseiro, Tom teve uma sacada! Uma ideia da gota: “taqui pariu doido!” “Um quarteto!” Um quarteto? Isso mesmo!  Uma receita que já deu certo com Os Trapalhões! Nada de imitar ou fazer caricatura. “Mas, esta será a pegada!”
E foi exatamente isso que Tom fez. Um Os Trapalhões moderno. Sem remake. Isso a Globo já tá fazendo. Com inspiração no quarteto encabeçado pelo Didi, mas sem que ninguém perceba, Tom foi logo imaginando quem seria os parceiros. “Tem que ser gente que tá na mídia... bombando. Cinema é bilheteria!” Pronto! Assim surgiu Os Parças, onde o Tom Cavalcante é o Didi. O Bruno de Luca é o Dedé Santana. Tirulipa e o Mussum e Winderson Nunes é o Zacarias. Todos sem dar bandeira, é claro! Mas esta é a composição.
A sacada foi genial! Winderson Nunes é o maior Youtuber do Brasil. Tirulipa é o cara do momento. O Tom é o Tom. E, por fim, o Bruno, que entrou em substituição a Danilo Gentili, que preferiu ficar fora do projeto.
Para roteirizar Tom chamou o carioca e experimentado Global Cláudio Torres Gonzaga.
E para dirigir? Pensou-se em nomes variados. Aí alguém soprou: “Que tal o cearense Halder Gomes, diretor dos sucessos Cine Hulliúdy e Shaolin do Sertão?” Ligou. Perguntou. Topou! Halder tinha acabado de filmar o Cine Holliude 2, que estreará no dia 10 de maio de 2018. Mas topou. Este foi o outro grande acerto do filme! O filme tá a cara do Halder!
E mais: como o quarteto famoso é amigo de todo mundo, para reforçar o elenco ainda chamaram o cantor cearense Wesley  Safadão e o jogador da Seleção Neymar. Com certeza eles não estavam no roteiro original. Mas, conversa vai, conversa vem... os dois entraram na trama com participações bem redondinhas.
No filme, além de atores a atrizes conhecidos das novelas brasileiras,  ainda há uma participação especial de Carlos Alberto de Nóbrega, o homem da Praça. Os cearenses LC Galleto e Bolachicha também estão na trama.
            O filme que estreou dia 30 de novembro/2017 está lotando os cinemas de todo o Brasil, e, aposto, superará os dois milhões de espectadores.
            E você deve estar se perguntando: “E de que é que trata o filme?” Digo nada. Só digo uma coisa: você vai morrer de rir!
Quem ainda não foi ver, que vá!
Gostei!
Parabéns a todos!
E viva o bom humor brasileiro!
Jader Soares é Presidente da Associação dos Humoristas Cearenses e
Diretor do Museu do Humor Cearense e Teatro Chico Anysio


sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Leitura aberta do XII Edital de Incentivo às Artes


A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (SECULT-CE) está convidando os artistas e produtores para as sessões de Leitura Aberta do XII Edital de Incentivo às Artes, a ser lançado ainda neste mês de dezembro de 2017.
Segundo a SECULT, “O  objetivo das Leituras Abertas é pôr o Edital em discussão, de acordo com cada uma das linguagens artísticas, ouvindo sugestões e propostas da sociedade civil para aperfeiçoamento desse importante instrumento democrático”.
Para a realização do XI Edital 2016/2017,  aconteceu o mesmo procedimento! Mais de 20 humoristas compareceram.
DETALHE: O PAGAMENTO DO XI EDITAL AINDA NÃO FOI FEITO!
 
A Leitura para a Linguagem do HUMOR acontecerá dia 06 de dezembro (Quarta)
Horário: 10h.
Local: Auditório da SECULT (6º andar), no Prédio do Cine São Luiz, na Praça do Ferreira.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

IX Festival Nacional de Humor de Maranguape começa hoje

Com atrações locais e nacionais, o IX Festival de Humor de Maranguape invade a Praça Capistrano de Abreu nos dias 16, 17 e 18 de novembro/2017. É Maranguape pela 9ª vez celebrando o filho ilustre Chico Anysio. André Lucas, filho de Chico, fará apresentação hoje, na abertura do evento!
Além de André, nos  três dias de shows na Arena Chico Anysio  (Praça Capistrano de Abreu), desfilarão com suas graças os humoristas: Tirullipa, Ciro Santos, João Cláudio Moreno, Iran Delmar, Carlinhos Maia, Dinah Moraes, Fei que Dói, Marmita, Henrique Vidal, Rapadura e Seu Isaías.

O 9º Festival Nacional de Humor é uma realização da APAMA - Associação dos Agentes do Patrimônio Natural e Cultural de Maranguape, com o apoio cultural do Ministério da Cultura e Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, apoio institucional da Prefeitura de Maranguape, através da FITEC – Fundação Viva Maranguape de Turismo, Esporte e Cultura. Patrocínio: Banco do Nordeste, Smurfit Kappa, Xerez e Hope. Agradecimentos: Mallory, Zenir, Avine, Enel e Bradesco. Parceria: Açaí Self.
Toda a programação tem acesso gratuito.

Os shows na Praça Capistrano de Abreu acontecem à noite, a partir das 19h, mas nos três dias tem programação mais cedo. Pela manhã, das 9h às 11h, tem Humor de Feira na Rodoviária e no Mercado Público, com os humoristas Fei que Dói e Marmita. A Casa do Chico também recebe o Festival de Humor, com Oficina de Percussão às 14h e cineminha às 16h na Sessão do Riso.

Bandas de Forró

O Festival, a cada noite é encerrado com uma Banda de Forró. Isso, causou um grande reboliço nas redes sociais, onde humoristas, criticam a presença destas Bandas  aonde só deveria desfilar humor.
As Bandas que tocarão no Festival: Lagosta Bronzeada (dia 16); Brasas do Forró(dia 17) e Bete Nascimento (dia 18). Quem puxou a discussão foi o humorista Jardeson Cavalcante (Titela), que escreveu em seu "face":

“Um festival que tá perdendo a graça
Antes de mais nada queria deixar bem claro que essa é uma opinião absolutamente pessoal, já participei desse festival e na época que participei vi que ele tinha tudo pra se tornar imenso como o (RISADARIA) lá do Sudeste que se intitula o maior festival de humor do MUNDO e eu até concordo, mas o de Maranguape tomou um rumo contrário, cada ano que passa fica menor e perdendo sua identidade e o mote que é levar o bom HUMOR ao povo cearense e...especialmente ao povo Maranguapense.
Não tenho nada, absolutamente nada contra nenhum artista contratado para esse ano, mas eu acho e se vocês discordarem podem ficar à vontade para opinar, um FESTIVAL NACIONAL DE HUMOR deveria ser apenas com apresentações humorísticas, volto a falar para que eu não seja bombardeado, não tenho nada contra nenhum profissional do teatro ou do segmento do forró, mas na minha opinião se é FESTIVAL NACIONAL DE HUMOR todas as apresentações no mínimo deveria acontecer com humoristas e comediantes.
Temos vários grupos de teatro com espetáculos de humor maravilhosos, vários humoristas cantores ou quê atuam no ramo da música, poderia citar aqui vários mas isso cabe aos profissionais da secretária da cultura Maranguapense pesquisar.
Antes que digam:
-Não, ele está assim revoltado por quê não foi contratado!!
Também, por que um FESTIVAL NACIONAL DO HUMOR EM MARANGUAPE na terra do maior humorista do mundo, era pra no mínimo beneficiar muito mais humoristas, não só daqui como de outras partes do Brasil, imaginem o intercâmbio cultural, ficaria muito mais bonito e interessante, imaginem quantos colegas meus poderiam se apresentar no lugar das bandas de forró que eu repito, em nada tem culpa em terem sido contratadas para trabalhar, são profissionais assim como eu e vão se apresentar onde pagar.
E o que eu acho mais agravante disso tudo, deixar de fora do FESTIVAL NACIONAL DE HUMOR DE MARANGUAPE um profissional que aos trancos e barrancos, luta praticamente sozinho para manter vivo a genial história e nome de Chico Anysio com um teatro e museu que leva o nome do mestre como o humorista
Jader Soares o Zebrinha, pra mim foi a maior mancada de todas, Chico Anysio deve tá orgulhoso onde estiver com tudo isso!
Mesmo assim MERDA para todos os artistas que vão se apresentar e que façam o que realmente sabem fazer que é o bom humor brasileiro do qual faço parte e por isso me achei no direito de opinar, vida longa ao festival pois Chico Anysio o nosso mestre do humor já é imortal.

Jardeson Cavalcante - Titela"

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Dion Queiroz ganha Festival Humor 25 anos do Teatro Chico Anysio


 
 

 
                
 

 

                                                                        
Pronto! Acabou!
O humorista Dion Queiroz foi o grande vencedor do Festival de Humor 25 anos do Teatro Chico Anysio. Com o Teatro lotado, seis finalistas disputaram os votos dos jurados. O resultado final ficou assim: 1º Colocado: Dion Queiroz; 2º Colocado:  Roberto Rizo  e 3º Colocado: dupla Delegado e Zé Bolão. Além dos três vencedores, participaram também da Final a dupla Colorau e Ronaldo, Carlos Amorim (de Pernambuco) e Esparguete. Todos fizeram bonito.


O Festival deu R$ 6.000,00 (Seis Mil Reais) em prêmios, assim distribuídos:

1o  Colocado: R$: 3.000,00 (Três Mil Reais) e Troféu Djacir Oliveira            

2o  Colocado: R$: 2.000,00 (Dois Mil Reais) e Troféu Djacir Oliveira

3o  Colocado: R$: 1.000,00 (Um Mil Reais) e Troféu Djacir Oliveira

O evento aconteceu de 14 de outubro a 04 de novembro de 2017, sempre aos sábados, as 20h, no Teatro Chico Anysio. Sendo 3 Classificatórias e uma Final. 15 humoristas foram pré-selecionados e participaram do evento.

Por dia participaram 05 humoristas em apresentação solo, dupla ou grupo, classificando-se 02 por etapa. Portanto, seis foram classificados para a Grande Final.

            O Corpo de Jurados não foi fixo, variando de etapa a etapa. Na Grande Final o júri foi formado por: Diretor de Teatro Waldem Luiz, Produtor de Humor Carlos Araújo, Ator  Aldo Anysio; Apresentador de TV Praciano e o Humorista Luiz Antônio (Aurineide Camurupim).

O Festival fez uma justa homenagem ao veterano comediante, radioator Djacir Oliveira, que faz parte do Programa “Nas Garras da Patrulha” da Verdinha AM e TV Diário!

Durante o evento aconteceu a Exposição “Humor do Ceará” no Museu do Humor Cearense, que fica anexo ao Teatro.

A SECULTFOR – Secretaria de Cultura de Fortaleza, apoiou o evento, através do Edital das Artes 2016.

Realização: Escritório do Riso e Jader Távora.

Inf. 85 - 3252 3741 - 999 91 0460.

Parabéns a todos!

Parabéns ao Teatro Chico Anysio por seus 25 anos de graça!


SERVIÇO:

Festival de Humor 25 anos do Teatro Chico Anysio
Dias 14, 21 e 28 de outubro e 04 de novembro de 2017
Aos sábados – 20h                                     
Entrada: De graça
Av. da Universidade, 2175
Inf.: (85) 32252 3741 – 999 91 0460

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Grande Final do Festival Humor 25 anos do Teatro Chico Anysio, acontecerá sábado, 04 de novembro/2017


 
                                                                                        
Pronto! Definidos os seis humoristas que disputarão a Grande Final do Festival de Humor 25 anos do Teatro Chico Anysio. São eles: Roberto Rizo e a dupla Delegado e Zé Bolão (vencedores da 1ª Classificatória); Esparguete e a dupla Colorau e Ronaldo (vencedores de 2ª Classificatória) e Dion Queiroz e Carlos Amorim (vencedores da 3ª Classificatória).


O Festival dará R$ 6.000,00 (Seis Mil Reais) em prêmios, assim distribuídos:

1o  Colocado: R$: 3.000,00 (Três Mil Reais) e Troféu               

2o  Colocado: R$: 2.000,00 (Dois Mil Reais) e Troféu

3o  Colocado: R$: 1.000,00 (Um Mil Reais) e Troféu.

O evento acontece de 14 de outubro a 04 de novembro de 2017, sempre aos sábados, as 20h, no Teatro Chico Anysio. Sendo 3 Classificatórias e uma Final. 15 humoristas foram pré-selecionados.

Por dia participaram 05 humoristas em apresentação solo, dupla ou grupo, classificando-se 02 por etapa. Portanto, seis estão classificados para a Grande Final.

            O Corpo de Jurados não é fixo, variando de etapa a etapa. Nele, nomes como:  Diretor de Teatro Waldem Luiz, Produtor de Humor Carlos Araújo, Ator  Aldo Anysio; Produtor de Eventos Raimundo Moreira, Cartunista Zhélio Ferreira e Atriz Eveline Miranda.

O Festival faz uma justa homenagem ao veterano comediante, rádioator do “Nas Garras da Patrulha” (TV Diário e Rádio Verdes Mares AM) Djacir Oliveira.

Durante o evento acontece a Exposição “Humor do Ceará” no Museu do Humor Cearense, que fica anexo ao Teatro.

A SECULTFOR – Secretaria de Cultura de Fortaleza, apoia o evento, através do Edital das Artes 2016.

Realização: Escritório do Riso e Jader Távora.

Inf. 85 - 3252 3741 - 999 91 0460.

 

SERVIÇO:

Festival de Humor 25 anos do Teatro Chico Anysio

Dias 14, 21 e 28 de outubro e 04 de novembro de 2017

Aos sábados – 20h                                     

Entrada: De graça

Av. da Universidade, 2175

Inf.: (85) 32252 3741 – 999 91 0460

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Jader Soares lança hoje, livro sobre PAULA NEI, o 1º Humorista Brasileiro no Shopping Benfica


 
PAULA NEI – O Primeiro Humorista Brasileiro
Autor: Jader Soares
Apresentação do Livro: Chico Anysio

            O humorista Jader Soares faz mais um Lançamento de livro neste dia 25 de outubro/2017. O  livro é biográfico e pra lá de curioso. Trata-se de “PAULA NEI – O Primeiro Humorista Brasileiro”. E como não poderia deixar de ser, o biografado é cearense. O livro foi escrito em 2008 e lançado oficialmente em 2015 na I Festa Literária do Humor Cearense, realizada no Museu do Humor Cearense/Teatro Chico Anysio e em seguida também teve lançamento na Academia de Letras de Aracati, terra onde nasceu Nei. A apresentação do livro, que vai na orelha, é simplesmente de Chico Anysio. Este é o 6º livro de Jader.

Paula Nei nasceu em Aracati-CE, a 2 de fevereiro de 1858, faleceu no dia 13 de outubro de 1897 (120 anos de morte), no Rio de Janeiro. Viveu 39 anos, 8 meses e 11 dias. Pouco tempo de vida, mas o bastante para pilheriar e fazer da vida um grande saco de risadas.

            Aos 18 anos, resolveu, com o consentimento do pai, morar na Capital do Império, Rio de Janeiro. O ano: 1876. Lá, tornou-se jornalista, quase médico, poeta, boêmio e o Rei da Pilhéria. A Rua do Ouvidor, centro da efervescência política e cultural do Rio, era o “Escritório” do Nei. Amigo de intelectuais e escritores como Coelho Neto, Aluísio  Azevedo, José do Patrocínio, Emílio de Menezes e Olavo Bilac, só pra citar alguns, o poeta era disputado para estar presente nas mesas dos cafés das elegantíssimas confeitarias da época. 

            Apesar de ser jornalista, Nei detestava escrever. Dizia “Sou um literato agráfico, um folhetista oral.

            Como poeta, escreveu 7 sonetos. O mais famoso é o “A Fortaleza”. A famosa expressão: “A loira desposada do Sol”, referente à nossa capital, está neste soneto:

A Fortaleza

Ao longe, em brancas praias embalada
Pelas ondas azuis dos verdes mares, 
A Fortaleza, a loira desposada
Do sol, dormita à sombra dos palmares.

Loura de sol e branca de luares,
Como uma hóstia de luz cristalizada,
Entre verbenas e jardins pousada
Na brancura de místicos altares.

Lá canta em cada ramo um passarinho,
Há pipilos de amor em cada ninho,
Na solidão dos verdes matagais...

É minha terra! a terra de Iracema,
O decantado e esplêndido poema
De alegria e beleza universais!

            Paula Nei era louco pelo Ceará. Dizia: “Pelo Brasil sou capaz de morrer! Pelo Ceará sou capaz de matar!

Nei foi estudante de medicina. E foi justamente nesta Faculdade, que mais “aprontou”. Um exemplo: O professor Luís Pientznauer que,   arguindo Paula Nei em exame de Anatomia Descritiva, depois de verificar que o estudante nada sabia do ponto sorteado, nem dos outros, resolveu, para salvá-lo, fazer-lhe uma pergunta de misericórdia:

            - Diga-me ao menos, senhor Nei: quantos ossos tem o crânio de um homem?

- Não me recordo, professor, mas tenho-os todos aqui na cabeça...

Jader argumenta que “humorista é aquele que provoca riso de modo constante em seu dia-a-dia, transformando as situações, por mais adversas que sejam em bom humor”. Chico Anysio dizia: “o humorista é antes de qualquer coisa um observador”. E Jader conclui: “Ninguém observava a tudo e a todos, provocando risos constantes, como o fizera Paula Nei”.

            Na contracapa do Livro, o autor Jader Soares escreveu sobre a obra:

“Vamos apostar quanto, como você vai dar o maior valor a este livro? Por quais motivos? Todos e mais alguns. Por exemplo: 1º, o tema é Paula Nei. E se é Paula Nei, a prosa é boa. 2º, o livro é de humor, e rir é o melhor que podemos e devemos fazer o máximo que puder. 3º, você comprou o danado, fez um investimento e quer que o investimento tenha sentido. 4º, o cara era cearense. 5º, a apresentação é do Chico Anysio e 6º, você aprovando, fica bom demais para o moço aqui que o escreveu.

Defender ser este Nei o primeiro humorista brasileiro é algo que faço sem esforço. O porquê, você mesmo descobrirá em cada página, em cada depoimento ou simplesmente em citações dos que com ele conviveram e até de quem só ouviu falar dele, depois de sua partida.

Minha maior satisfação é ter a certeza de que tudo o que aqui escrevi, representa apenas uma pequena parte do muito que se sabe sobre Paula Nei. O Nei é uma fonte inesgotável.

Portanto, prepare-se! Você esta entrando no mundo de Paula Nei. Antes de qualquer coisa, saiba: Paula Nei é um estado de espírito, assim como fora a belle époque, tempo em que ele viveu.”

 

SOBRE O AUTOR

JADER SOARES é cearense de Massapê. Nasceu no ano de 62 do século passado. Estreou como Humorista em 1984, no Teatro Vila Velha, em Salvador, Bahia, onde morou 5 anos. Desde 1985 mora em Fortaleza.

Professor, formado em História (UECE), ministrou aula durante 12 anos em vários colégios de Fortaleza. Deixou a sala de aula para viver exclusivamente de Humor. Estudioso do assunto, Jader é o idealizador do Dia do Humorista (12 de abril), diretor do Teatro Chico Anysio, Museu do Humor Cearense e Escritório do Riso (Centro de Estudo do Humor); além de presidente da ASSO-H (Associação dos Humoristas Cearenses).

Palestrante e Escritor, este é o seu 6º livro.  Lançou também vários cordéis e um CD.

Homem de Televisão, foi apresentador de programas na TV Diário e TV Jangadeiro e já participou, com seu personagem Zebrinha, dos seguintes programas nacionais: Domingão do Faustão, Globo Repórter, Profissão Repórter, Câmera Record, Domingo Legal, Domingo Espetacular, Esporte Espetacular, Comando da Madrugada, Show do Tom, Jornal Nacional e Encontro com Fátima Bernardes.

Na telona teve participação em quatro filmes: “Auto da Camisinha”, 2009; “Cine Hollyúdi I e II”, 2013/2018 e “Meliante, 2017.

Após o lançamento haverá Show de Humor com Leide Daiana e Colorau e Ronaldo.
 
 

Serviço:

Lançamento de Livro

“PAULA NEI – O Primeiro Humorista Brasileiro”

Autor: Jader Soares

Dia 25 de outubro de 2015

19h

Local: Shopping Benfica (Praça de Alimentação)

Contato do autor (85) 3252 3741 – 999 91 0460